Acesso Restrito Institucional Qualificação Pacientes Contatos Sala de Imprensa Galeria de fotos Links Agenda
 
Oncologia cutânea (câncer de pele)

Oncologia Cutânea - Hospital do Câncer - AC Camargo

O câncer de pele pode recorrer?
O câncer de pele pode recorrer se todas as células não tiverem sido removidas ou destruídas. O câncer de pele recorre mais freqüentemente nas áreas onde sua ressecção é mais difícil como couro cabeludo, nariz e orelha. As recorrências acontecem principalmente nos 2 primeiros anos. Por esta razão, o seguimento é necessário por 5 anos, principalmente nas pessoas de alto risco. A maior parte do dano solar à pele é irreversível. Há maior risco de um novo câncer de pele se desenvolver nas áreas de pele danificada pelo sol. Em 10% dos pacientes, encontra-se mais de um câncer de pele.

Isto significa que o câncer de pele não é curável?
Pelo contrário, quase todos os cânceres de pele que são diagnosticados e tratados precocemente podem ser curados. Isto é conseguido habitualmente sem a necessidade de cirurgias extensas, com mínimo desconforto e poucas cicatrizes.

Eu terei uma cicatriz?
Toda vez que a pele é cortada, existirá uma cicatriz resultante. O médico tentará fazer a cicatriz ficar o menos aparente possível.

A cirurgia me desfigurará?
A menos que o tumor seja grande e demande uma reconstrução cirúrgica maior, não deverá haver deformidade. Se o câncer for de grandes proporções, então será necessária uma cirurgia reparadora para se obter um resultado mais satisfatório. Na maioria dos casos, uma sutura simples é suficiente para fechar a ferida operatória. Em grandes feridas operatórias, retalhos de pele ou enxertos podem ser necessários. Em raros casos de destruição tecidual extensa, uma prótese pode ser utilizada. As modernas técnicas cirúrgicas nos tornaram capazes de produzir resultados esteticamente adequados.

A cirurgia causa muita dor ou sangramento?
A maioria das cirurgias para o câncer de pele causam pouca dor e muito pouco sangramento. Nós recomendamos analgésicos comuns como dipirona para a dor, em vez de aspirina. Normalmente nenhuma outra medicação para dor é necessária. O sangramento é mínimo. Pode ocorrer edema que regride em pouco tempo. Se for necessário o uso de sutura, esta deverá ser removida em aproximadamente 7 a 14 dias. Dormência ou hipersensibilidade podem ocorrer e persistir por até 2 anos. O prurido pode ser aliviado com hidratantes.

Precisarei consultar meu médico após a cicatrização da ferida?
Cerca de 40% dos pacientes desenvolverão um segundo câncer de pele em até 5 anos, logo se faz necessário um seguimento. Após duas consultas de retorno com o cirurgião, o paciente pode retornar ao seu médico de origem para exames periódicos a cada 6 meses.

Há relação entre o câncer de pele e anticoncepcionais orais?
Apesar de alguns estudos terem mostrado alguma associação entre o uso prolongado de contraceptivos orais e o melanoma, nada foi conclusivamente provado. Entretanto, mulheres que têm outros fatores de risco para o câncer de pele devem discutir o uso das pílulas com seu médico.

Eu devo usar filtro solar?
Aplique filtro solar corretamente em todas as áreas expostas ao sol 30 minutos antes da exposição solar. Reaplique após nadar ou transpirar ou quando o clima apresentar muita umidade. Use o protetor solar o ano todo, inclusive no inverno e em dias nublados. Tenha certeza de ter protegido os lábios, nariz, orelhas, ombros, pescoço, pernas, dorso dos pés e couro cabeludo (se for careca ou tiver pouco cabelo).

Meu médico disse que eu tenho lesão pré-cancerosa — queratose actínica. O que isto significa?
A exposição solar crônica causa manchas e lesões na pele, chamadas de queratoses actínicas, que podem se transformar em um carcinoma da pele. Elas são crostosas, usualmente róseas, cinza, amarelas ou marrom claras. Elas podem cair e recorrer no mesmo local. A terapia destrutiva local é usualmente suficiente; freqüentemente uma biópsia pode vir a ser necessária. Seu médico determinará o que precisará ser feito.

O que são Manchas Senis?
As chamadas manchas senis são coleções de pigmentos que aparecem próximas à superfície da pele e formam manchas acastanhadas. Apesar de prevalentes na pele envelhecida, elas são resultado da excessiva exposição solar, e não do envelhecimento. Elas aparecem nas áreas mais atingidas pelo sol.

As manchas solares podem ser removidas?
Lentigos ou manchas senis não são difíceis de serem removidas. Tratamentos com nitrogênio líquido ou neve carbônica são normalmente empregados para este fim, assim como cremes à base de ácido retinóico, glicólico ou kójico.

Porque a biópsia e a remoção são necessárias até mesmo para pequenos cânceres de pele?
Uma lesão que é pequena em sua superfície pode se estender profundamente, invadindo a pele e até mesmo os órgãos mais profundos. A biópsia é necessária para se diferenciar entre os vários tipos de câncer de pele, permitindo a escolha do tratamento mais correto. Devido ao câncer de pele poder se alastrar além de suas margens, é necessário, para garantir a remoção completa de todas as células tumorais, a remoção completa do tumor com uma margem de segurança de tecido normal ao seu redor.

É necessária a hospitalização?
Normalmente a cirurgia é realizada a nível ambulatorial com anestesia local. O mapeamento intra-operatório das margens — em que sucessivas camadas de tecido são removidas e analisadas pelo patologista para a remoção completa do tumor — pode demorar algumas horas, e por vezes pode também ser feita a nível ambulatorial. Cirurgias extensas para tumores maiores requerem internação.

Quem pode ter câncer de pele?
Qualquer um pode ter um câncer de pele, mas ele é particularmente comum em dois grupos: aquelas de pele muito clara e aquelas que constantemente se expõem ao sol, como agricultores, velejadores, pescadores, jardineiros, trabalhadores da construção civil (apesar de trabalhadores que não trabalham ao sol, mas com exposição solar intermitente porém intensa, poderem desenvolver melanoma). O câncer de pele parece ter um componente hereditário, e a exposição a certos produtos químicos como os arsênicos podem causar câncer. Apesar da doença ocorrer principalmente em indivíduos idosos, o dano solar provavelmente ocorreu muito antes. Hoje em dia tratamos pessoas aos 20 ou 30 anos de idade com câncer de pele.

São a idade e o sexo fatores predisponentes?
Se todas as idades forem agrupadas, os homens apresentam mais câncer de pele que as mulheres, mas em idades mais jovens a incidência se eqüivale. Nos homens o melanoma ocorre mais freqüentemente no tórax, ombros e dorso; enquanto nas mulheres, nas pernas, talvez devido às roupas. Ambos os sexos desenvolvem câncer mais freqüentemente no nariz. Nas áreas com maior exposição solar, tanto os homens quanto as mulheres desenvolvem câncer de pele, particularmente entre a 3a e 4a décadas de vida. O dano da pele induzido pelo sol é cumulativo, e o câncer se desenvolverá quando o limite deste dano for atingido.

Como o câncer de pele é tratado?
O tratamento do câncer de pele é determinado pelo tipo, localização, extensão do câncer, idade do paciente e história prévia de câncer de pele. A biópsia é feita para determinar se a lesão é maligna. Se positiva, o câncer de pele deve ser removido por um destes métodos: cirurgia excisional, curetagem e eletrocoagulação, criocirurgia, radioterapia, quimioterapia tópica ou com mapeamento intra-operatório das margens.
Na cirurgia excisional, o tumor inteiro é ressecado com margem de segurança. O tecido removido é microscopicamente analisado para garantir que todas as células cancerosas foram removidas. Na curetagem e eletrocoagulação a cureta é utilizada para remover o tumor e a eletrocoagulação para se obter margem de segurança.
Na criocirurgia, o nitrogênio líquido é aplicado repetidamente em ciclos para se destruir todas as células cancerosas. Na radioterapia, radiação é aplicada ao tumor. Muitas doses são necessárias, e o tratamento pode demorar semanas ou meses.
Na quimioterapia, o 5-fluoracil é aplicado na forma de creme, sendo muito efetivo no tratamento de lesões pré-cancerosas ou superficiais. Na técnica de mapeamento intra-operatório das margens, as camadas de tecido são sucessivamente removidas até a completa remoção das células tumorais. Pode ser realizada a nível ambulatorial e apresenta altos índices de cura.

Os óculos de sol são realmente importantes?
Sim. Seus olhos possuem proteção natural que são as pupilas. Estas se contraem quando há muita luz brilhando para diminuir a quantidade de luz que atinge a retina, a córnea e o cristalino, bloqueando a radiação visível. Entretanto, inflamação da córnea pode ser causada por exposição solar, e há evidências que implicam a radiação solar como causa de catarata. A área ao redor dos olhos é um local comum de câncer de pele.
Os melhores óculos de sol permitem que apenas 5% da luz visível e da radiação infravermelha penetre nos olhos. Os óculos mais escuros não são os melhores, porque as pupilas se abrem amplamente para permitir a visão permitindo com que mais radiação atinja a retina. Um oftalmologista ou técnico especializado pode ajudá-lo a escolher o melhor modelo.

As loções bronzeadoras ou pílulas podem ser usadas com segurança?
Não. As loções bronzeadoras são usadas para facilitar e algumas vezes apressar o bronzeamento. A maioria são óleos com agentes corantes que não protegem contra qualquer forma de radiação ultravioleta. As pílulas para bronzeamento contém produtos químicos, usualmente betacarotenos ou xantinas, que bronzeiam a pele artificialmente.
Estes produtos químicos são aprovados pelo F.D.A. como agentes corantes (em pequenas concentrações) em alguns alimentos, e não são considerados perigosos. As concentrações destas substâncias nas pílulas para bronzeamento são muito grandes e podem ocorrer deposição destas no sangue, pele, tecido adiposo e órgãos como fígado e rins. A pele se torna amarelada e depósitos cristalinos podem se formar nos olhos. Pílulas para bronzeamento podem ser perigosas, são ilegais nos E.U.A., e promovem pouca proteção ao sol.

Como posso saber se meu SALÃO DE BRONZEAMENTO é bom?
A resposta é simples. Nenhum salão de bronzeamento é bom. Todas as lâmpadas de bronzeamento emitem radiação ultravioleta danosa, não importam as proporções de UVA e UVB. Salões de bronzeamento aparecem e desaparecem tão rapidamente que a fiscalização é quase impossível. Não é raro o pessoal empregado estar mal treinado e desinformado; algumas vezes seus argumentos são ilusórios. Você prejudica sua pele, seus olhos e sua saúde freqüentando salões de bronzeamento.

As crianças podem ter câncer de pele?
Apesar do câncer de pele ser incomum em crianças, o dano solar que posteriormente resultará em câncer de pele é cumulativo na infância. A pele da criança, particularmente a do bebê, é mais sensível que a do adulto. Na média, as crianças se expõem ao sol 3 vezes mais que os adultos, logo é vital que sua pele seja protegida desde cedo. Evidências mostram que uma única exposição solar intensa, que resulte em bolhas, na infância, pode dobrar os riscos do aparecimento de melanoma na idade adulta.

Se eu restringir minha exposição solar, como vou obter a Vitamina D?
É verdade que precisamos de vitamina D para permitir que nosso corpo absorva cálcio e fósforo, vitais para os ossos e dentes, e que o sol estimula o precursor (pró-vitamina D) em nossas células para produzir esta vitamina necessária. Hoje em dia, entretanto, obtemos o necessário do leite e alimentos. A vitamina D sintética, líquida ou em forma de tabletes é um substituto aceitável. Porém, 10 a 15 minutos de exposição solar diária proverão amplamente nosso corpo desta vitamina, e mesmo assim isto não é necessário para aqueles que têm uma dieta normal.

O câncer de pele é contagioso?
Não. O câncer de pele não é contagioso, como se fosse um resfriado. Você não pegará um câncer de pele tendo estado em contato com alguém que tem ou já teve, nem como utilizando seus utensílios pessoais. A hereditariedade evidentemente tem seu papel. Se seus familiares ou avós têm ou tiveram câncer de pele, você tem um risco maior de desenvolver câncer de pele, e deve se precaver quanto a outros fatores de risco, como a exposição solar, que podem aumentar sua vulnerabilidade.

A geografia tem papel no câncer de pele?
Sim. O sol é mais intenso nas áreas próximas à linha do Equador: quanto mais intenso o sol, e quanto mais dias ensolarados houver, maior a incidência de câcer de pele decorrente apenas da exposição solar.

A radiação UVA tem importância?
A intensidade da radiação UVA que chega até a camada basal da epiderme é 700 vezes maior que a radiação UVB. Isto significa que em condições normais de exposição ao sol, a radiação UVA é tão mutagênica, carcinogênica e imunossupressora quanto a radiação UVB.

Por que o sol é tão ruim para minha pele?
Porque os raios solares, denominados ultravioleta A e B (raios UVA e UVB) danificam a sua pele. As células normais da pele crescem, dividem-se e são substituídas. Isto mantém a pele saudável. Os raios solares danificam estas células da pele. Isto provoca rugas prematuras, câncer e outros problemas de pele. Ficar habitualmente sob o sol, mesmo se você não se queimar, pode causar câncer de pele. O bronzeamento é a tentativa desesperada do corpo de se proteger dos prejudiciais raios solares.

As CÂMARAS DE BRONZEAMENTO ARTIFICIAL são mais seguras que o sol?
Não. As câmaras de bronzeamento artificial utilizam raios ultravioleta. Os produtores destas câmaras alegam que eles utilizam raios UVA "não-lesivos". Mas tanto o UVA quanto o UVB provocam danos à pele. Enquanto o raio UVA demora mais tempo para começar a danificar a pele em relação ao UVB, o UVA atinge a pele mais profundamente.

Onde há maior chance de desenvolver um câncer de pele?
A maioria dos canceres de pele ocorrem em áreas do corpo expostas repetidamente ao sol. Estas áreas incluem a cabeça, pescoço, face, terço superior da orelha, mãos, antebraço, ombros, dorso, tórax do homem e dorso e pernas em mulheres.

Como eu posso prevenir o câncer de pele?
O cuidado está em evitar exposição solar ou lâmpadas de bronzeamento. Se você irá ficar no sol por um tempo prolongado, vista-se com roupas de claras de algodão, de modo a protegê-lo da passagem dos raios solares até sua pele e, permanecer na sombra quando possível. Use chapéu para proteger seu rosto, pescoço e orelhas.
Lembre-se que nuvens e água não protegem você - 60 a 80% dos raios solares atravessam as nuvens e podem atingir nadadores até 25cm abaixo do nível da água. Os raios solares também são refletidos pela água, neve, concreto e areia branca.

Eu devo usar filtro solar?
Sim, mas utilizando o filtro solar você pode ou não diminuir o risco de câncer de pele. Se as pessoas acabarem ficando mais tempo expostas ao sol por acharem que estão protegidas com os filtros solares podem até aumentar o risco de desenvolver um câncer de pele. Além disso, vários filtros solares protegem somente contra os raios UVB. Deve-se, portanto, escolher um filtro que o proteja dos raios UVA e UVB. Se você não pode se proteger permanecendo fora do sol ou usando roupas adequadas, você pode utilizar o protetor solar, porém não pense que estará completamente protegido contra o sol.

Como se deve usar o filtro solar?
Utilize o filtro solar com um fator de proteção solar (FPS) de 15 ou mais. Se você está em altas altitudes (como nas montanhas), se planeja ficar exposto ao sol por muito tempo ou se você se queima facilmente, deve usar um protetor solar com FPS maior que 15. Certifique-se que você passou o protetor solar em todas as áreas que os raios de sol podem atingir você, incluindo-se orelhas, região posterior do pescoço, e do couro cabeludo com pouco cabelo (careca). Aplique o filtro novamente a cada hora se você estiver suando ou nadando.
Não há problema em usar filtro solar em caso de gravidez. O protetor solar não é recomendado em bebês menores de seis meses de idade. Nestes casos, mantenha-os longe do sol (das 10 às 16hs). Tenha muito cuidado com bebês nas praias pois o reflexo da água e da areia pode queimar a pele sensível do bebê mesmo sob o guarda-sol.

Eu tenho alergia, o filtro solar pode causar reação alérgica?
Se você tiver alergias, consulte seu méédico antes de escolher um filtro solar. Outros produtos, cosméticos ou medicamentos podem interagir com os ingredientes do filtro solar e produzir reação alérgica ou extrema sensibilidade à luz. Isto inclui alguns perfumes, anti-histamínicos, antibióticos, tranqüilizantes, medicamentos anti-diabéticos, alguns anti-convulsivantes e pílulas anticoncepcionais.

Qual é o melhor modo de fazer o auto-exame de pele?
O melhor modo é utilizar um espelho grande e um espelho de mão a fim de checar cada área de seu corpo.
Primeiro, você precisa aprender onde estão suas marcas de nascença, pintas e sardas e como aparentam. Cheque por qualquer imagem nova, como mudança de tamanho, textura ou cor de uma pinta ou machucados que não cicatrizam.
Olhe na frente e atrás de seu corpo no espelho, levante seus braços e olhe nos lados direito e esquerdo. Dobre os cotovelos e olhe cuidadosamente nas palmas das mãos, antebraços, incluindo a parte de baixo, e seus braços.
Cheque a frente e atrás de suas pernas. Olhe também entre as coxas e por volta da região genital. Sente-se e examine de perto seus pés, incluindo-se as plantas dos pés e os espaços entre os dedos. Olhe seu rosto, pescoço e couro cabeludo. Você pode usar uma escova ou um secador para movimentar melhor o cabelo e enxergar melhor. Fazendo o auto-exame regularmente, você se familiarizará com o que é normal para você. Se encontrar algo incomum, vá a um médico. Quanto mais precoce a detecção do câncer de pele, melhor a chance de curá-lo.

O que é ozônio?
Ozônio é uma substância química natural da atmosfera terrestre. É um gás que se forma de 3 átomos de oxigênio atômico. Seu símbolo é O3.

O que é camada de ozônio?
A camada de ozônio é uma região da atmosfera terrestre, em torno de 25 a 30 km de altura, onde a concentração do gás ozônio é maior.

Qual a importância da camada de ozônio?
A camada de ozônio tem importância fundamental para a vida no planeta Terra. É ela que absorve a radiação UV-B do Sol, e assim não permite que esta radiação, prejudicial à vida, chegue até a superfície da Terra.

O que é radiação UV-B?
Radiação em geral é a energia que vem do Sol. Esta energia é distribuída em vários comprimentos de onda: desde o infra-vermelho até o ultra-violeta (UV), passando pelo visível, onde a energia é máxima. Na parte do UV, existe o UV-C, que é totalmente absorvido na atmosfera terrestre; o UV-A, que não é absorvido pela atmosfera; e o UV-B, que é absorvido pela camada de ozônio.

Porque a radiação UV-B é tão importante?
A radiação UV-B é responsável por inúmeras sequelas nos seres vivos. O câncer de pele é a doença mais citada pelos médicos. Mas tem efeitos indesejáveis também na visão, onde pode produzir catarata, e tem influência negativa no DNA das células, diminuindo as defesas naturais do organismo.

A camada de ozônio está diminuindo?
Sim, a camada de ozônio está sendo atacada por substâncias químicas produzidas pelo Homem moderno. Estas substâncias, sintetizadas em laboratório, são conhecidas pelo nome coletivo de CFC (cloro-fluor-carbonetos). Uma das componentes destas substâncias é o cloro, que ataca e destrói o ozônio na estratosfera.

O que é o buraco na camada de ozônio?
O buraco na camada de ozônio é um fenômeno que só acontece na Antártica, isto é, na região do Polo Sul. É um fenômeno cíclico. É uma destruição violenta de ozônio na atmosfera, durante a primavera de cada ano, quando mais da metade da camada é destruída. Nestas ocasiões, a radiação UV-B aumenta muito. Por estar distante do Brasil, não nos afeta diretamente, embora tenha influências indiretas de interesse científico.

O UV-B está aumentando?
É um fato, registrado por medidas em vários locais do mundo, que a camada de ozônio está diminuindo, numa taxa média anual de 4% por década. Como a camada é o único filtro natural protetor contra a radiação UV-B, esta radiação deve aumentar nos próximos anos. A radiação UV-B está sendo monitorada em todo o mundo, inclusive no Brasil pelo INPE. Ainda não há evidências concretas mostrando um aumento do UV-B nos últimos anos. Mas tudo leva a crer, teoricamente, de que a radiação UV-B deverá aumentar nos próximos anos.

É perigoso ficar no sol?
Não é perigoso ficar no sol, a não ser em casos exagerados. Existem hoje meios de se determinar para cada paciente, o tempo que pode ficar exposto ao sol sem se queimar, e sem o risco de ter câncer de pele no futuro.

O que é o Índice de UV-B?
O índice de UV-B é um número, numa escala de 0 a 16, que indica a intensidade do sol num determinado instante, ou num determinado dia (valor máximo). É determinado, no Brasil, pelo INPE, e tem base numa rede de medidores de radiação UV-B espalhados no Brasil de modo a cobrir o país de maneira adequada.

Para que serve o índice de UV-B?
O índice de UV-B indica a intensidade do Sol na faixa do UV-B, e serve para orientar cada paciente, dependendo de seu biotipo, quanto tempo pode ficar no Sol sem se queimar, isto é, quanto tempo, em minutos, pode ficar exposto à radiação UV-B com a sua própria resistência interna, sem prejudicar a sua saúde.

Como determinar o biotipo do paciente?
Na questão relativa ao índice de UV-B, é mais fácil dividir a sensibilidade da pele humana do paciente em quatro grupos. Cada paciente pode facilmente identificar-se dentro de cada um deles. O mais sensível é o tipo A, que tem a pele muito branca; o mais resistente é o tipo D, aquele que tem a pele negra; além destes extremos há dois casos intermediários, o tipo B, que é o moreno claro; e o moreno escuro, tipo C.

Como achar os tempos de exposição permissíveis?
O tempo de exposição permissível ao Sol, sem queimar, foi determinado por médicos dermatologistas através de experiências com pacientes. Os valores em minutos, para cada um dos biotipos, constam da tabela especial composta pelo laboratório de ozônio do INPE.

Como aumentar o tempo de exposição ao Sol?
O exame da Tabela de exposição (abaixo) mostra que os tempos que cada paciente pode ficar ao Sol sem se queimar é relativamente pequeno, de alguns minutos. Mas é perfeitamente possível ficar mais tempo no Sol, com alguns cuidados que protegerão adequadamente, como o uso do guarda-sol, de chapéu, camiseta, óculos, etc. No entanto, a maneira tecnologicamente mais correta de se proteger do Sol nos nossos dias, é através do uso de protetores solares químicos, disponíveis no mercado, e produzidas por empresas competentes. Deve-se passar estes filtros solares mais de uma vez durante o banho de sol.

Tabela de Tempo de Exposição Segura ao Sol (UV-B), Sem Queimar, em Minutos (Valores Médios)
Valor do
Índice UV-B* Pele
Tipo A Pele
Tipo B Pele
Tipo C Pele
Tipo D
0-2 30 60 90 120
3 20 47 70 90
4 15 32 50 75
5 12 25 40 60
6 10 22 35 50
7 8,5 19 30 40
8 7,5 17 26 35
9 7 15 24 33
10 6 14 22 30
11 5,5 13 20 27
12 5 12 19 25
13 4,5 11 18 23
14 4 10 17 21
15 3,5 9 15 20
*O Índice de UV-B é fornecido pelo INPE/Laboratório de Ozônio, e corresponde à intensidade da radiação UV-B medida.
Fonte: V.W.J.H. Kirchhoff, Ph.D. Chefe do Laboratório de Ozônio

INPE
Tipo A Pele muito branca, a mais sensível;
Tipo B Pele moreno-clara;
Tipo C Pele moreno-escura;
Tipo D Pele negra, a menos sensível

Observação: Esta tabela é uma compilação do resultado de pesquisas de diversos médicos dermatologistas, e os valores foram obtidos em diversas publicações na literatura internacional, em congressos médicos e através de comunicações pessoais. Para cada caso particular, o paciente deve procurar o seu médico de confiança.

Quantas vezes aumenta a proteção com os filtros?
Os filtros solares normalmente vêm com uma indicação numérica, bem visível, estampada no frasco, por exemplo, 15. Este é o chamado fator de proteção. Ele indica quantas vezes mais, em minutos, o paciente pode ficar ao Sol, com total proteção. Assim, se a Tabela de exposição indica, para um certo índice de UV-B, que o tempo de exposição é de 5 minutos, com o protetor de fator 15, o paciente poderá ficar 15X5=75 minutos ao Sol.

Qual o filtro solar que o paciente deve usar?
Isto depende de quanto tempo pretende ficar ao Sol. Mas os fatores de proteção mais altos, nem sempre são necessários. Como regra geral, deve-se recomendar o fator de proteção 15, que é muito eficaz, mais barato, e normalmente é suficiente para proteger o banhista médio. Para casos específicos, consulte o seu médico.

Nossos pais não se preocupavam tanto com o Sol, porque nós precisamos?
Por que o meio ambiente em que vivemos está mudando. A camada de ozônio está mudando. Nas próximas décadas mais ozônio vai ser destruído, e tudo leva a crer que o UV-B vai aumentar. Por isto é importante que todos tomem mais cuidado. É uma questão de saúde. Quem abusar vai sofrer as conseqüências.

De 1970 até os dias atuais, pode-se dizer que o buraco na camada de ozônio aumentou quanto?
O buraco na camada de ozônio, que é um fenomeno da Artártica, cresceu de 2 milhões de km2 em 1980 para 23 milhões de km2 em 1999. Mas, acredita-se que não vai aumentar muito mais do que isto, isto é, o tamanho está saturado.

Há alguma estatística que diga quando a camada de ozônio acabará totalmente?
A camada de ozônio não deve acabar tão cedo, isto porque as mudanças que ocorrem na atmosfera acontecem com um ritmo muito lento. Por exemplo, os CFCs que jogamos na atmosfera durante os últimos 10 anos, e que ainda vão destruir uma parte da camada de ozônio, só vão chegar na estratosfera, onde ocorre a destruição, daqui a uns 30 ou 40 anos.

Quantas reações químicas são necessárias para destruir o ozônio?
Na verdade não é importatne quantas reações são. O que acontece é que a destruição pura e simples pelo cloro é uma só; é a reação do ozônio com o cloro, produzindo monóxido de cloro mais oxigênio. Acontece que logo em seguida, ocorre a reação do monóxido de cloro com o oxigênio atômico, o que reproduz cloro. O resultado final é que não só o ozônio é destruído mas também o causador da destruição, o cloro, é reciclado, podendo novamente destruir uma outra molécula de ozônio. A isto chama-se de ciclo catalítico. Por isto é que a destruição é tão eficiente.

Rua Araguari, 1705 - sl. 303 - Belo Horizonte - MG - Brasil - CEP: 30190-111 - Telefone: (31) 3275.1488